1.10.08

Comunicar

Neste momento, o grande problema do PSD são as expectativas criadas com a sua estratégia de comunicação.
Manuela Ferreira Leite não tem feitio nem discurso para motivar e arrastar multidões. Fale muito ou pouco. É uma questão de integridade, mas também é uma questão de estilo e imagem que não tem. A actual líder do PSD vale muito mais pela substância, pelo seu passado e coerência política. É o oposto do imediatismo e da política espectáculo. As suas razões apontarão sempre para o longo prazo, bem como as suas soluções. Daí ter optado pela reserva, resguardando-se, para não se perder em grandes e constantes declarações.
No entanto, este seu recato voluntário faz com que a expectativa seja elevada sempre que se sabe que vai falar ou aparecer. O seu ponto fraco é aquele que acaba por atrair mais atenção e esperança, acabando por provocar o efeito contrário do pretendido.
A sua seriedade e honestidade intelectual impedem-na de ter um discurso com grandes tiradas mediáticas, promessas milagrosas ou soluções inesperadas. Invariavelmente, o veredicto de quem tem de encher páginas e minutos de telejornal vai ser de que ficou aquém do esperado.

1 comentário:

Johny disse...

Se calhar até posso estar a ir ao encontro do que afirmas, mas a verdade é que estive presente numa conferência em Braga com a Manuela Ferreira Leite sobre política orçamental e ela, para além das lacunas no estilo e na imagem, também foi de facto muito fraquinha no discurso. E nos dias seguintes, em várias outras aparições, apenas se viu mais do mesmo.
Acho que a tua análise parte dum pressuposto muito forte - a "substância... o passado...a seriedade e honestidade intelectual" - que se calhar está a deturpar um pouco a habitual precisão das tuas opiniões.
Pessoalmente começo a duvidar que ela seja de facto a líder ideal para o PSD, contrariando o que pensava há tempos atrás.