17.12.08

Lata

O Chelsea tem no seu plantel jogadores como Deco, Ballack, Lampar, Joe Cole ou Malouda.
No entanto, Scolari vem hoje lamentar-se que lhe falta um criativo para conseguir marcar mais golos.
Apenas questiono, como conseguem os outros treinadores do planeta colocar as suas equipas a jogar futebol?

4.12.08

O mundo de Sócrates

Algo me diz que a taxa de juros e os preços dos combustíveis, que ainda há poucas semanas eram factores completamente externos e alheios ao nosso governo, vão passar, num ápice, a constituir troféus que Teixeira dos Santos e José Sócrates vão fazer questão de exibir com profundo orgulho.
O discurso de ontem do primeiro-ministro foi apenas o primeiro sinal.

19.11.08

Falta de jeito

Manuela Ferreira Leite errou. Quis brincar com o que não domina, com as palavras.
As suas afirmações são infelizes e até servem para suavizar uma das áreas em que o actual governo começava a sentir mais dificuldades em gerir. Os seus tiques de teimosia que resvalam demasiadas vezes para o autoritarismo.
Sócrates, mais do que um político, é uma imagem, um produto para venda. E uma das coisas que ainda não nos conseguiram vender é a sua faceta de grande democrata, com grande apego à liberdade.
Até por isso, as declarações de Ferreira Leite são um tiro no pé.
Agora o que também não vale a pena é dramatizar a situação. Aquelas afirmações são desastradas, mas não passam de um piada falhada, sem qualquer substância. E muito menos interessa vir dizer que até o próprio PSD se assustou, utilizando como exemplo as declarações do inefável Luís Filipe Menezes.

P.S. - Alguns jornalistas apressaram-se a colar as declarações da líder do PSD às suas anteriores declarações sobre o poder da comunicação social. Quanto a estas últimas, não existem dúvidas que foram descontextualizadas, para que se conseguisse subverter o seu sentido. Basta deixar de ler apenas as notas de rodapé que passam nos telejornais e ouvir todo o seu discurso para perceber isso.

15.11.08

Outros horizontes

"A Costa o que é de Costa" por Eduardo Pitta, no Da Literatura.

14.11.08

Jurassic Park

Leia-se no JN a conduta do sempre eterno presidente da câmara de Vila de Conde. Edificante.

Sporting-Porto

A polémica em torno da arbitragem de Bruno Paixão (um incompetente com provas dadas) é um bom exemplo do jornalismo desportivo miserável que se faz em Portugal. Quem viu o jogo sabe que o Porto foi igualmente prejudicado com a agravante de ter sido primeiro a sê-lo. No entanto quem vê, lê ou ouve a nossa imprensa fica com a impressão que se tratou de mais um roubo ao Sporting (o Calimero do nosso futebol).

Depois atente-se nas boçais declarações de Paulo Bento: "Os árbitros são incompetentes, mas começo a acreditar que não é só isso.[...] A questão da arbitragem já mete nojo. O Sporting é demasiado simpático para com as arbitragens. [...] Temos de criar mau ambiente no estádio, que é o que os árbitros merecem". Se fosse algum responsável do FCP a proferir tal enormidade já sabíamos o que podia esperar...

P.S. - Sabemos que Jesualdo tem que motivar os jogadores mas não exagere, o Porto não joga nada!

Separador

28.10.08

Pessoas

Durante o fim de semana, uma das coisas que gostei de ler foi a entrevista de Paulo Rangel ao Sol.
Aquele espaço, em que habitualmente figuras públicas falam de assuntos mais prosaicos e fora da área que lhes deu notoriedade, não é dado, por isso, a grandes brilhantismos ou declarações profundas, mas Paulo Rangel impressionou-me pela clareza e pela fuga ao politicamente correcto.
Uma das frases que o líder da bancada do PSD proferiu foi esta:

"Trocaria a vida do meu cão pela vida de qualquer pessoa em qualquer lado do mundo, mesmo não a conhecendo. Uma pessoa vale sempre mais do que um animal.“

No entanto, admito que estava longe de esperar que pudesse ser encarada como uma revelação.

Sobre o mesmo assunto, ler "Adopte um cão", por Helena Matos, no Blasfémias.

24.10.08

O preço real

A OPEP, numa atitude de incompreensível autismo, decidiu diminuir a produção, numa tentativa desesperada de impedir a queda dos preços e que, à partida, parece não ter surtido efeito.
Em primeiro lugar, parece-me que os produtores de petróleo estão a esquecer-se de que, para haver consumo de petróleo e seus derivados que sustente os preços, é necessário que a economia mundial esteja saudável, coisa que dificilmente se conseguiria se os preços se mantivessem nos níveis anteriores. Bem pelo contrário, como alguém disse, "arriscavam-se a estar a matar a galinha dos ovos de ouro".
Em segundo lugar, penso que a crise dos mercados financeiros demonstrou que a maior fatia do preço do barril do petróleo devia-se unicamente à especulação provocada por fundos de investimento. Ou seja, não era comandada pela relação directa entre a oferta e a procura, pelo que as variações de produção não terão qualquer efeito, numa altura em que não existe liquidez no mercado para investir.

15.10.08

Autárquicas 2009

Ainda é cedo para fazer grandes projecções, mas não deixa de ser inédito o que vem no Diário do Minho:

«Se as eleições para a Câmara de Braga se realizassem domingo, o líder da coligação "Juntos por Braga" bateria Mesquita Machado por uma margem mínima. O candidato “laranja” conseguiria 30,9 por cento dos votos contra 29,7 por cento de Mesquita Machado»

(Via Avenida Central)

Orçamento 2009

Olhando para as linhas gerais do orçamento de Estado de 2009, parece que, afinal, os sacrifícios que pediram aos portugueses foram para assegurar a reeleição com maioria absoluta a José Sócrates.

13.10.08

Outros horizontes

"O País do Faz de Conta" por Eduardo Pitta, no Da Literatura.

6.10.08

Do outro lado do horizonte

A dramática escalada desta crise leva-nos e meditar sobre o fim do capitalismo tal como o conhecemos. A nacionalização da banca e as restrições no consumo vão passar ao nosso quotidiano! Ao contrário do que pensava, nem as próximas eleições americanas, com a vitoria do Senador Barack Obama, nos vão salvar deste flagelo.

Braga no séc. XXI

Está longe de ser novidade, mas é verdadeiramente criminoso e revoltante o volume de construção que a Câmara Municipal de Braga permitiu na zona envolvente do Bragaparque.
Um espaço que poderia ser uma nova centralidade, não passa de uma sombria zona dormitório, cravada de betão e veículos mal estacionados, que deveria fazer corar de vergonha todos os bracarenses.
E não faltam andaimes a prometer mais destruição...

1.10.08

Maus augúrios II

Mais do que a humilhação, o que preocupa é a sua previsibilidade...

Comunicar

Neste momento, o grande problema do PSD são as expectativas criadas com a sua estratégia de comunicação.
Manuela Ferreira Leite não tem feitio nem discurso para motivar e arrastar multidões. Fale muito ou pouco. É uma questão de integridade, mas também é uma questão de estilo e imagem que não tem. A actual líder do PSD vale muito mais pela substância, pelo seu passado e coerência política. É o oposto do imediatismo e da política espectáculo. As suas razões apontarão sempre para o longo prazo, bem como as suas soluções. Daí ter optado pela reserva, resguardando-se, para não se perder em grandes e constantes declarações.
No entanto, este seu recato voluntário faz com que a expectativa seja elevada sempre que se sabe que vai falar ou aparecer. O seu ponto fraco é aquele que acaba por atrair mais atenção e esperança, acabando por provocar o efeito contrário do pretendido.
A sua seriedade e honestidade intelectual impedem-na de ter um discurso com grandes tiradas mediáticas, promessas milagrosas ou soluções inesperadas. Invariavelmente, o veredicto de quem tem de encher páginas e minutos de telejornal vai ser de que ficou aquém do esperado.

29.9.08

Sem vergonha na cara

A história das casas oferecidas pela câmara de Lisboa é escandalosa. A notícia do Expresso deste fim-de-semana mostra bem o desplante, há um funcionário camarário, José Bastos, que entretanto cedeu a casa ao filho e até chega a dizer que é a sua casa de reserva. Outro afortunado, Baptista-Bastos, recusa a dizer quanto paga pela oferta.
Como já é tradição autárquica parece que isto vai ficar a cargo da consciência de cada um e todos sabemos como isto vai acabar...

"A vereadora da Habitação na Câmara de Lisboa, Ana Sara Brito (PS), afirmou hoje estar de "plena consciência", depois de ter sido inquilina de uma casa que estava na posse da autarquia durante cerca de 20 anos."

Outros horizontes

"Saúde Privada: o Paralelo dos Sistemas" por Vítor Pimenta n´Avenida Central.

23.9.08

Oferta, procura e especulação

Para quem tinha dúvidas sobre os factores que têm determinado o preço do barril de petróleo, os últimos dois dias são bem elucidativos.
É impossível que, num mercado tão contínuo como este e sem qualquer factor externo que tenha alterado os valores de produção, a procura varie de tal forma que o seu preço tenha oscilações diárias na ordem dos 20%.
Grande parte do preço que actualmente se paga pelo petróleo é fruto de especulação. A sua volatilidade apenas vem comprovar isso mesmo.

22.9.08

Outros horizontes

A advocacia lisboeta em "As firmas", na Grande Loja do Queijo Limiano.

Maus augúrios

Algo me diz que o FC Porto se vai arrepender amargamente de ter passado o defeso a encher a equipa de trincos e a despejar o resto do dinheiro que tinha num clube de terceira linha uruguaio, dono do passe de um obscuro brasileiro, com um nome de guerra exótico e que marcava uns golos na segunda divisão japonesa.
Entretanto, o Ibson é pago para continuar a jogar bem no Brasil.
Espero estar enganado.

18.9.08

Porto novo

Ontem, Jesualdo Ferreira saiu do campo satisfeito com a exibição e com o resultado do FC Porto, justificando-se com o facto de terem jogado muitos jogadores novos que não tinham qualquer experiência europeia e a quem não se podia exigir muito.
Tendo em conta o que se passou, parece-me que não se poderá exigir nada. É que enquanto o Porto jogou futebol, isso ficou a dever-se essencialmente aos que já lá estavam. Dos novos, com excepção de Rolando (mais um bom jogo) e de alguns fogachos de Rodriguez, o que ficou foi mau de mais para justificar tanto milhão gasto...

17.9.08

Gestores de topo

Atente-se nos prémios que os gestores das maiores instituições financeiras norte-americanas receberam.
Ninguém pode deixar de ficar surpreendido com tamanha demonstração de mérito...

16.9.08

Contabilidade

Para quem via todos os anos os anúncios dos lucros recorde que, praticamente, todas as instituições financeiras apresentavam até há alguns meses, não pode deixar de ficar surpreendido com as falências que se avizinham e com a fragilidade que o sector apresenta.
O grande problema é que a maioria dos lucros apresentados não se traduzia em verdadeira liquidez, mas na avaliação de património imobilizado que, não raras vezes, pouco ou nenhum valor real de mercado detinha.
Caso se perca algum tempo a estudar as contas de muitos bancos, constatar-se-á que boa parte dos seus activos são compostos por imóveis arrematados por valores reduzidos em execuções hipotecárias motivadas pelo incumprimento de quem tinha contratos de crédito à habitação. No entanto, esses valores, mesmo sendo reduzidos e quase sempre inferiores ao valor da avaliação do imóvel que serviu para a concessão do crédito, continuam a ser superiores ao valor que alguém está disposto a dar por esses imóveis, uma vez que, seja por uma questão de oferta e procura seja pela conjuntura económica, não existe poder de compra significativo no mercado.
Resultado, grande parte desse lucro era ilusório e não tinha verdadeiro reflexo na liquidez do banco.

Outros horizontes

"Cunhas" por João Miranda, no Blasfémias.

15.9.08

Ventriloquia

Sempre que ouço ou leio alguém a criticar o "silêncio" de Manuela Ferreira Leite, lembro-me dos inspiradores e certeiros manifestos de José Sócrates, quer antes quer depois da sua eleição.

14.9.08

Falta de rigor

Afinal,não era um médico dentista que estava a assegurar a urgência num Centro de Saúde, mas sim um médico estomatologista. Este último tem uma licenciatura em medicina, o primeiro não. Mau jornalismo.

12.9.08

Outros horizontes

Sobre os resultados imediatos da política educativa deste governo, ler "Estatísticas", por Francisco José Viegas, n' A Origem das Espécies.

11.9.08

Mau começo

A derrota de ontem é lamentável, por todas as razões.
Porque Portugal jogou muito melhor e merecia ter vencido.
Porque nos atrasa perigosamente na corrida para o Mundial da África do Sul.
E, pior do que tudo, porque serve na perfeição o discurso dos nostálgicos de Scolari.
Ainda assim, ainda bem que é Carlos Queirós quem lá está.

10.9.08

O Menezista

Mais do que arrependido de ter deixado a liderança do PSD que, sejamos sinceros, poucos motivos de verdadeira satisfação pessoal lhe deve ter dado, o que irritará mais Menezes é a ausência de uma contestação visível e generalizada a Ferreira Leite. Pior do que isso, a subida nas sondagens e o regresso de alguma acalmia ao partido.
Contrariamente ao que sucedeu durante o seu mandato, as vozes discordantes limitam-se a alguns franco-atiradores, identificados com outros sectores do partido e com reduzido peso na opinião pública.
Daí a necessidade sentida de sair a terreiro de forma estridente e ruidosa, dando novamente o corpo às balas após constatar que ninguém o faria por ele.
Infelizmente para Menezes, o peso que detém na sua rua não tem a mínima correspondência no resto do país.

9.9.08

Nacionalização nos EUA

A Europa pode suspirar de alívio pela nacionalização do Freddie Mac e do Fannie Mae.
Ataque ou não ao capitalismo e à economia de mercado, esta decisão do governo dos EUA faz suspirar de alívio muitas instituições financeiras europeias e, por consequência, a economia do velho continente.
Dado o peso destes dois gigantes e a globalização das relações económicas, esta decisão acaba por significar que os EUA aceitam arcar exclusivamente com os erros de gestão da administração daquelas instituições, ao invés de deixar que a sua queda acabasse por contaminar toda a economia mundial, como vinha acontecendo até agora.
Acredito que do outro lado do Atlântico haja quem discorde desta decisão e a ache totalmente injusta, mas, do lado de cá, compreende-se o alívio sentido nos mercados.
Se é uma grave e irreparável brecha nos pensamentos mais liberalizantes da economia, mais tarde se verá, mas tudo isto revela, acima de tudo, que a regulação na actividade financeira e de crédito é crucial.

Benfica, sempre na vanguarda

O Benfica quer que Cristian Rodriguez seja punido por uma alegada agressão a Nuno Gomes (que deveria ter sido expulso por uma entrada em que apenas viu o cartão amarelo) captada por câmaras do LORD, acrónimo de Laboratório de Optimização do Rendimento Desportivo (na Luz não se brinca), do próprio SLB. A qualidade do vídeo é péssima e nada esclarecedor. Mas fica aqui a deixa, os adeptos devem começar a filmar tudo no estádio na esperança de punir os jogadores adversários. A crer na qualidade do LORD, uma banal câmara de telemóvel deve ser suficiente. O vídeo já está disponível no órgão oficioso do clube da Luz.

Ele vive


7.9.08

Outros horizontes

"O Vermelho e o Negro" por João Gonçalves, no portugal dos pequeninos.

6.9.08

Chuva fascista

Uma senhora na Festa do Avante: "Chuva fascista não afasta comunista!"

5.9.08

A subir todos os santos ajudam

Admirava-me que ainda ninguém se tivesse dado ao trabalho de fazer as contas.
Comparando a descida do preço do barril do petróleo e as descidas dos preços dos combustíveis, vê-se que as gasolineiras ficaram com muito dinheiro no bolso.
Confesso que não percebo o que a Alta Autoridade para a Concorrência necessita para ver a cartelização de preços...

4.9.08

Crime violento

A onda de criminalidade que, ainda mais do que o próprio país, invadiu os meios de comunicação social, levou a que o nosso eficaz governo actuasse com a mão pesada que se lhe exigia.
Sem qualquer resquício de populismo, dia sim dia não, o secretário de Estado da Administração Interna vem clamar por prisão preventiva para todo o tipo de criminosos, atirando para os incompetentes juízes a raiz do problema.
Por este caminho, acabam-se com os julgamentos, poupando ao Ministro da Justiça uma série de dores de cabeça com o novo mapa judiciário.
A verdade é que a criminalidade violenta a que se tem assistido, mais do que um problema de justiça, é um problema de segurança que só se consegue resolver com mais e melhor polícia.
Mexer nas leis apenas serve para distrair e disputar a abertura de telejornais.

2.9.08

Google lança browser

A Google vai lançar um novo browser, o Google Chrome. Podem experimentar a versão beta aqui.

Pergunta

As pessoas que presentemente se candidatam aos cursos de via de ensino nas universidades esperam fazer o quê quando se licenciarem? Não se podem queixar de falta de aviso...

31.8.08

Publicidade

«Os pilotos da companhia "lowcost" Ryanair denunciaram que a empresa está a limitar ao máximo a reserva de combustível necessária para qualquer emergência e mostraram-se preocupados com a situação, noticia hoje o jornal inglês "The Sunday Times".»

Sobre o Benfica-Porto

Para os portistas soube a pouco, a jogar contra 10 e alguns dos jogadores benfiquistas debatendo-se com problemas físicos o Porto foi incapaz de criar verdadeiras situações de perigo.

Mas uma vez mais este jogo é um exemplo da manipulação da comunicação social. Logo nos minutos iniciais Luisão agride Sapunaru. Miguel Prates, na SportTV, que comenta os jogos como se o SLB estivesse a jogar contra uma equipa estrangeira, faz de conta que não vê, a imagem repete-se mas fica apenas o silêncio. Depois vem um facto verdadeiramente inédito no clássico, um adepto agride o árbitro assistente. Um pequeno fait-divers para a imprensa.
O problemas dos factos supracitados é nós (portistas) sabermos como seria se fosse ao contrário. Já estou a imaginar a capa d'A Bola com um adepto portista a apertar o pescoço do árbitro no Dragão.

26.8.08

Do outro lado do horizonte

Ao contrário de muita gente, não contava que Portugal ganhasse medalhas nos jogos olímpicos de Pequim. Confesso que fiquei surpreendido pelas 2 medalhas dos atletas portugueses. Não pelo background dos atletas, nem pela sua qualidade, mas sim por uma característica bem portuguesa, falta de mentalidade ganhadora.
Nunca vi nenhuma atleta afirmar antes dos jogos que vai para ganhar uma medalha. Afirmam sempre que vão dar o seu melhor, que vão tentar ganhar e chegar o mais longe possível! Destas palavras podemos deduzir que ao ficarem em quarto ou quinto lugares, derem o seu melhor e chegaram o mais longe possível, ou seja, cumpriram os objectivos!
Porquê que não afirmam que vão chegar até ao lugar X, e que senão chegarem serão uns perdedores e não cumpriram os objectivos a que se propuseram. Será difícil ter uma mentalidade ganhadora? Podemos achar arrogante, mas será que não aprendemos nada com o mais bem sucedido treinador português e um dos melhores do mundo?

30.7.08

Outros horizontes

Antes de rumar a férias, leia-se o artigo de Miguel Frasquilho, "Uma encenação perfeita", no Jornal de Negócios, sobre os repetidos milagres do défice.

24.7.08

Surpresa?


No fim-de-semana em que se viu acossado pelo processo Apito Dourado, Pinto da Costa afirmou que os adeptos portistas iam ter uma surpresa. Habituados (e bem) ao silêncio do seu presidente sobre futuras contratações, todos esperavam um verdadeiro craque e não mais um para ser emprestado no final da época. Ontem o jornal oficioso começou a baixar as expectativas, não valia a pena comprar um craque porque já tínhamos o Lisandro (esta é original)... Hoje veio o nome da surpresa, saído do universo Marvel vem o incrível Hulk do grande e exigente campeonato japonês. Foi pena ter quebrado o silêncio...

Nesta altura é bom relembrar antigos posts:

"Sem dinheiro", "Primeiras impressões", "O verdadeiro", "Esclarecimentos", "FC Porto 2007/2008"

21.7.08

Negócios privados

Um dos melhores exemplos do funcionamento da economia portuguesa e das relações muitas vezes incestuosas entre as empresas e o Estado, está no recente negócio que a Microsoft realizou em Portugal, com a compra da Mobicomp.
O gigante americano, ao invés de ter optado por alguma daquelas empresas informáticas que têm feito as capas dos jornais de fim-de-semana, por causa dos seus lucrativos negócios com o Estado, não hesitou em sair da capital, vir a Braga e adquirir uma empresa de desenvolvimento de software.

15.7.08

Sinais dos tempos

A nossa sociedade evoluiu de tal forma que presentemente é muito fácil ter acesso gratuito a um filme, a uma música ou a um jogo de vídeo, tudo na mais alta definição. As chamadas entre telefones móveis são a regra e chegam a ser gratuitas. A comunicação escrita entre pessoas, por maior que seja a distância, já nem o selo custa e, não raras vezes, oferecem-nos aparelhos que nos servem de agenda, telefone, despertador, máquina fotográfica, máquina de jogos, leitor de música, etc.
Os mapas em papel são demasiado estáticos e demoram eternidades a indicar-nos o destino. Para quem apenas necessita de informação básica, os jornais tornaram-se num gasto inútil e o seu suporte em papel um costume incómodo.
Tudo está mais fácil, o que começa a custar mesmo são aqueles actos tão prosaicos que nunca fariam furor em nenhum filme de ficção científica, como manter um tecto para dormir, pôr o carro a trabalhar ou ter comida e produtos frescos na mesa...

11.7.08

Geo-política

Coincidência ou não, após dois dias consecutivos em que o barril de petróleo negociou em grande queda, tendo o seu preço caído mais de 8%, logo surgiram notícias (com as indispensáveis imagens) de que o Irão estaria a efectuar testes militares com mísseis de longo alcance.
Resultado, o preço do barril de petróleo subiu até atingir novos recordes.
Isto numa altura em que os líderes árabes do médio Oriente não têm nenhuma razão para estarem especialmente melindrados, até porque a administração actual do grande satã já está em fase de despedida.
Haja ou não intencionalidade, a realidade é que se a actual situação do preço do petróleo se mantiver causará à infiel civilização ocidental danos mais terríveis do que qualquer atentado terrorista.

9.7.08

Carros & telheiros...


A perspectiva de ter um carro eléctrico acaba por agradar a toda a gente, mesmo que numa primeira fase (e por causa da actual capacidade de armazenamento de energia) para uma utilização citadina.
O que me parece que está a ficar esquecido é que, antes de o país se dotar de infraestrutura pública de utilizador/pagador, é necessário ter uma garagem para poder "alimentar este sonho".

Dois efeitos parecem poder surgir em simultâneo desta dedução: a desistência por parte de muitos entusiastas (tornando o lançamento algo "discreto") e a subida do preço das garagens (!?)...

Do outro lado do horizonte

A irracionalidade que o mercado de capitais tem vivido ultimamente, não só em Portugal que é mais vulnerável a especuladores estrangeiros, mas também nos mercados mais maduros, tem desvirtuado completamente a sua função. A decisão de colocar parte do capital de uma empresa em bolsa tem como principal objectivo o seu financiamento imediato para novos projectos e expansão. Embora estejamos a viver numa conjuntura mundial desfavorável, esta situação começa a ser intolerável. Tomo por exemplo uma das maiores empresas de material eléctrico e telecomunicações a nível mundial – Alcatel-Lucent (20 biliões de euros de facturação – 77 mil colaboradores) - que perdeu e ganhou nestes últimos seis meses 2 biliões de euros de capital. Será que os negócios da empresa nos primeiros três meses correram mal e nos últimos meses correram bem? Ou foi pura especulação bolsista? Ou o preço do barril de crude afectou o negócio de telecomunicações? É óbvio que estamos a falar de especulação bolsista por parte dos operadores e fundos internacionais. Por isto, penso muito honestamente que talvez seja necessário criar uma regulação mais eficiente neste mercado. Tornando-o, assim, mais transparente e com o objectivo para que foi criado, avaliar a performance do seu corpo executivo na criação de valor aos verdadeiros investidores. Só assim voltaremos a ter confiança e a investir nas empresas que apresentam as melhores performances.

7.7.08

Justiça

No Dia Seguinte na SIC-N, discute-se a situação no futebol português. José Manuel Delgado (jornalista de A Bola), um benfiquista assumido (e anti-portista primário) clama por justiça e por uma nova era no futebol português. O que grande parte da nossa imprensa pretende não é justiça, o que querem, a qualquer custo, é que o FC Porto seja condenado, o resto são tretas.

Sem vergonha

O que mais escandaliza na última aberração do Conselho de Justiça da Federação é que já nem há a mínima preocupação em, pelo menos, usar a máscara.
Diz-se e mostra-se para quem quer ouvir e ver que se está lá para se julgar a favor de um determinado lado, seja o indescritível presidente, sejam os seus inenarráveis conselheiros.
E anda o país há anos sem fio a discutir sumaríssimos e suspensões.
Depois deste episódio, penso que está dada a última machadada na auto-regulação do futebol.

6.7.08

Outros horizontes

"Traseiras do direito" por CAA, no Blasfémias.

27.6.08

Os nossos tribunais

Só quem não anda pelos tribunais é que pode ficar surpreendido pelo que aconteceu em Santa Maria da Feira.
Com ou sem razão, seja pelo contributo de políticos, advogados, juízes ou jornalistas, a opinião geral é a de que a nossa justiça é lenta, mal preparada, medrosa, aberta a influências e a condicionamentos. Numa palavra, injusta.
Se a este sentimento juntarmos edifícios anacrónicos, a cair de velhos, instalações eternamente provisórias, com salas mal preparadas, sem qualquer dignidade que não foram construídas nem adapatadas para aquele fim, temos o barril de pólvora que actualmente existe em cada tribunal.
Com este estado de coisas, cresce o sentimento de impunidade e de desrespeito que apenas pode desembocar em casos semelhantes ao de Santa Maria da Feira.
Entretanto, do ministro da Jusitça nem vê-lo...

20.6.08

Jogou-se futebol

Portugal perdeu bem.
Enquanto precisaram de jogar futebol, os alemães foram sempre melhores, com excepção daquele centro (o único aproveitável) de Bosingwa para a cabeça no joelho de Moutinho.
Como se temia, no meio-campo português apenas Deco aguentou a pedalada dos alemães. Ballack, Schweinsteiger e Podolsky tinham lugar todos os dias na nossa selecção, com força, técnica e tudo o que se deve exigir a um grande jogador de futebol.
Tacticamente, Scolari voltou a demonstrar que está longe de ser brilhante. Completamente desprevenido perante o reforço da linha média operada por Joachim Low que ganhou a batalha, mesmo estando longe do campo.
Nas bolas paradas, o mal de sempre. Um guarda-redes inepto que apenas se limita a rezar que a bola não chegue lá e um posicionamento defensivo displicente para um grupo em que anões se encarregam de tentar ajudar Pepe e Ricardo Carvalho.
Agora, vou ficar a torcer pela Holanda e pela Rússia que ainda foi a tempo de salvar as minhas previsões, num Europeu que está a sair bem melhor que a encomenda.

Regressando à Terra

A ideia de um novo Bloco Central, sem saber o que as eleições nos trouxeram, apenas pode ter algum cabimento para apimentar e assinalar o congresso que se avizinha. Nada mais.

12.6.08

Outros horizontes

"Felicidades para o futuro guarda-redes do Chelsea" por CAA, no Blasfémias.

Agora, descansar

Teste difícil, ontem.
A Rep. Checa mostrou ser incomparavelmente melhor que as descrições que dela foram feitas após o jogo com a Suíça.
Portugal mostrou carácter e as qualidades e defeitos que já se conheciam.
Tem uma defesa fantástica, um meio-campo entregue a um sublime Deco (melhor em campo) e um ataque ameaçador, onde não se pode dar um centímetro a Ronaldo e em que Quaresma e Nani já merecem uma oportunidade a sério.
Porém, tem um dos piores guarda-redes do torneio (Cech está muito mal acompanhado no grupo A), faltam quilos na linha média e o ponta de lança limita-se a fazer tabelas (ponha-se lá um meco). Que faria a imprensa amiga se conseguisse marcar golos...
Resumindo, estamos bem lançados e até agora só a Alemanha, a Espanha e a Holanda me pareceram ao mesmo nível.

P.S. - Péssima altura para anunciar a saída de Scolari, mas ele já sabe que tudo lhe perdoam.

Nunca é fácil

Muitos dos que peroram constantemente contra a falta de credibilidade e seriedade da política, já começam a acusar Manuela Ferreira Leite de se ter evaporado, por nada ter dito acerca do bloqueio dos camionistas.
A senhora foi eleita há pouco mais de uma semana e já esperam que venha com soluções milagrosas.
É esse o grande mal da política actual. Criou-se o mito de que não se pode nunca estar calado, para se poder vender jornais e abrir telejornais. Depois admiram-se que saia asneira...

11.6.08

No país dos camiões

Afinal somos um país governado por camionistas!

Até quando?

Está na altura do governo deixar de anunciar a sua inflexibilidade e começar a actuar.
O país não pode ficar refém de um bloqueio intimidatório que pouco ou nada tem de legal, democraticamente disfarçado de protesto.
Impedir as pessoas de trabalhar, ameaçar quem tenta furar o bloqueio, destruir mercadorias e camiões. Que mais precisam de fazer para que comecem a ser tratados como merecem?

10.6.08

Génios

Não tenho recordações de Diamantino como jogador, mas ao ouvir os seus comentários na Sport TV, imagino que tenha sido um génio incompreendido tais são as suas perplexidades e soluções fáceis para tudo que vê.

9.6.08

Uma questão

Provavelmente sou eu que não percebo nada, mas por que razão os camionistas, ao invés de estarem à espera que o Estado, através do governo, lhes resolva o problema, nem sequer equacionam fazer reflectir o aumento dos custos no preço final?

Venha o próximo

Portugal começou muito bem.
Temos, provavelmente, a melhor defesa do europeu. Aliás, os dois defesas centrais podiam perfeitamente ser médios criativos da selecção austríaca.
O meio campo, com Petit e Deco a caminhar para o seu nível, e com um João Moutinho que faz tudo, apenas ainda deixa dúvidas quando tivermos de defrontar adversários mais fortes fisicamente que nos obriguem a disputar bolas no ar.
No ataque, Ronaldo está longe de estar só. Simão está bem e ainda há Nani e Quaresma a salivar por um lugar.
Nuno Gomes esteve óptimo no passe para Pepe e fez uma exibição interessante, mas é perigoso gabar tanto um ponta de lança por ter enviado duas bolas de golo aos ferros.

7.6.08

Euro 2008

Finalmente o futebol vai começar.
À partida, aposto na França que tem um ataque demolidor, com Ribéry, Benzema, Henry e a revelação Gomis.
Para surpreender penso que vamos ter a Rússia, com um grande treinador (provavelmente o melhor do Euro) que pode utilizar como base a equipa do Zénit, vencedora da taça UEFA.
Portugal é uma incógnita (que Deco e Petit vamos ter?), mas acho que o ponta de lança vai fazer muita falta...
Pena a ausência da Inglaterra.

6.6.08

Um pouco de credibilidade apenas

É certo que há que contar com a inestimável colaboração de Manuel Alegre, mas a verdade é que, coincidência ou não, apenas poucos dias após a eleição de Manuela Ferreira Leite, a instabilidade interna quase que transitou totalmente do PSD para o PS.

Também tu Público?

Aviso à imprensa desportiva lisboeta


Estejam descansados, o Porto, aconteça o que acontecer, não vai vender a equipa toda, muito menos em saldos. Acalmem-se!

P.S. - Gosto sempre de ouvir o presidente Vieira a falar de honestidade!

5.6.08

Entretanto

O petróleo continua em descida, mas não se anuncia qualquer descida nos preços dos combustíveis. Que é feito daquele acompanhamento quase diário?

4.6.08

Pesos e medidas

O FC Porto foi afastado da Liga dos Campeões da próxima época.
Independentemente da justeza da decisão, que acho muito discutível, com base no mesmo raciocínio, não entendo como puderam participar nas competições europeias desta época o AC Milan e a Fiorentina e como poderá a Juventus participar na próxima época.
Nenhum dos três clubes foi ainda alvo de uma decisão semelhante, pelo que nunca se poderá dizer que já foram sancionados por isso, e os factos pelos quais foram punidos dizem respeito a uma época mais recente do que a dos factos imputados ao FC Porto.
Depois do último título conquistado, não há dúvida de que o Benfica consegue entrar na próxima Liga dos Campeões com toda a dignidade...

3.6.08

Entretanto

Enquanto a Autoridade da Concorrência passa um atestado de bom comportamento às petrolíferas que actuam em Portugal, diga-se que o preço petróleo nos mercados internacionais continua a descer.
Mas sem histerismos ou alarmismos, não vão os preços dos combustíveis começar a descer por aí abaixo...

Inquérito

Acha que o governo devia baixar os impostos sobre os combustíveis? Votem ao lado.

2.6.08

Tempos diferentes

A vitória de Manuela Ferreira Leite é uma boa notícia.
Em primeiro lugar, é muito boa para o PSD. O partido pode agora ter um pouco de paz, viver com mais tranquilidade (são de realçar as declarações de Pedro Passos Coelho) e recuperar a credibilidade e o respeito que andaram tão afastados nos tempos mais recentes. Os eleitores do PSD, ao assumirem a clara preferência do eleitorado do país, demonstraram a real importância das tricas partidárias, das guerras do aparelho e das manobras de bastidores.
Em segundo lugar, esta eleição marca uma fase nova na nossa democracia. Ferreira Leite é a antítese do político de plástico, com verbo fácil que apresenta propostas e promessas ao sabor da sua conveniência e oportunidade. Demonstrou que é possível vencer sem fazer concessões na seriedade e na coerência. Pode não vencer as legislativas, mas elevará o debate político para outro patamar.

O mais difícil está feito...

Numa altura em que todos os organismos mundiais alteram as suas previsões económicas quase mensalmente, não deixa de ser estranho que se venham fixar preços para um comboio que, na melhor das hipóteses, começará a circular em 2013 (?).
Agora só falta mesmo fazer...

Outros horizontes

"Andar por aí, por ali, por acolá, e ainda um bocadinho por além, mas nunca muito longe" por Pedro Picoito, n'O Cachimbo de Magritte.

1.6.08

Ad nauseum

Relativamente aos directos sobre a "selecção de Scolari" já sabíamos o que esperar dos nossos canais generalistas, a náusea absoluta, pior é difícil mas é o expectável. Que a SIC-N, um canal pretensamente respeitável, alinhe na palhaçada é lamentável. Claro que felizmente há o telecomando...

31.5.08

Boas notícias

Manuela Ferreira Leite é a nova líder do PSD!

30.5.08

Susceptibilidades

Pedro Santana Lopes considera gravíssimas estas afirmações de Manuela Ferreira Leite, falando mesmo na violação dos estatutos do partido e de limitações à liberdade de expressão:

"Quando fui votar no boletim de voto não estava lá o nome do Pedro Santana Lopes (...) Se lá estivesse o nome de Santana Lopes não votava. Só que no boletim estava PSD. E eu sempre votei PSD."

Era este o enfant terrible dos congressos do PSD que até chegou a ameaçar, em entrevista ao Expresso, criar um novo partido.

29.5.08

Ouro negro III

Outros horizontes

"Bafio e mofo. Parecem nomes de sopranos italianas." por Franscisco José Viegas, n'A Origem das Espécies.

Os belos negócios da cidade de Braga

No Público de hoje: "O PSD de Braga considera que o Ministério Público deveria investigar o alegado envolvimento do presidente da Câmara de Braga, Mesquita Machado, num negócio de terrenos que, segundo foi reconhecido esta semana em tribunal, lesa o Colégio de São Caetano em três milhões de euros, e beneficia quatro empresas de construção civil de Braga.(...) Em causa está uma permuta de 15 lotes de terrenos da Quinta dos Órfãos, pertencente àquele colégio e avaliados pelo tribunal em 4,9 milhões de euros. No âmbito da permuta, a instituição deveria receber em troca terrenos da Quinta da Naia, que segundo a avaliação do mesmo tribunal valem apenas 1,9 milhões de euros."

Vale a pena ler a notícia toda e as reacções desse grande benemérito que é o presidente Mesquita.

28.5.08

Ouro negro II

Diz o Público on-line:

"Preço do petróleo cai quase 9 dólares devido ao abrandamento do consumo"

Estou ansioso por ver a reacção das gasolineiras, tão sensíveis ultimamente às variações dos preços.

27.5.08

Ouro negro

Por muito que custe olhar para a velocidade vertiginosa que os números do contador do preço do combustível atingem quando se enche o depósito, a solução não se encontra em nenhuma descida da carga fiscal.
Esta até pode ser elevada e até poderia ser diminuída, mas penso que tal medida nunca poderia ser justificada com o aumento do preço dos combustíveis.
Se assim se fizesse estar-se-ia a dar um sinal errado e pernicioso aos agentes económicos. Seria o mesmo que dizer: podem aumentar o preço quanto quiserem que o Estado compensa o vosso aumento de receita com a diminuição da sua própria receita.
Todas os agentes económicos poderiam aspirar ao mesmo, ou seja, aumentavam exponencialmente o preço da sua actividade esperando que o Estado compensasse esse aumento com a descida dos impostos, como por exemplo, o IVA.
Neste caso, o governo apenas poderá actuar em concertação com os seus parceiros da União Europeia, atacando a fonte da especulação dos preços, se a há, e não optar pela medida mais fácil que não só se limitaria a adiar o problema como, em última análise, acabaria por beneficiar as petrolíferas que veriam o seu crime compensar.

26.5.08

Do outro lado do horizonte

Na passada quarta-feira resolvi assistir a um jogo de basebol juntamente com alguns colegas meus na “Catedral” do basebol americano, “Fenway Park”, o estádio mais antigo e mais sagrado desta modalidade. Apesar de achar este desporto pouco entusiasmante, fiquei bastante surpreendido com a animação e divertimento presentes nas bancadas e infra-estruturas anexas. Primeiro, porque além do jogo, com vários “home-run”, o estádio possui imensos bares que se expandem para o exterior deste, ficando as ruas fechadas exclusivamente para os adeptos. Segundo, porque, ao não haver adeptos da equipa visitante, estes eventos só conseguem ser efectivamente uma festa. Terceiro, e mais espantoso, é haver jogos de basebol quase diariamente, estando o estádio praticamente cheio e ser extremamente difícil arranjar bilhetes! Só espero conseguir arranjar tempo e bilhete para uma nova e merecida visita! Go Sox, Red Sox!

Inquérito II

Depois das definições dos últimos dias aqui fica uma nova versão do inquérito sobre quem será o melhor líder para o PSD.

Aquecimento global

Numa manhã, em finais do mês de Maio, de gabardina bem fechada, guarda-chuva em punho e olhar incrédulo perante o bafejar que o frio torna bem visível...

25.5.08

Futebol

Mesmo para quem gosta de futebol torna-se penoso ver qualquer canal de TV generalista durante as grandes competições internacionais. Abrir o telejornal com a chegada de Ronaldo a Viseu, mil e um especiais sobre a vida de Scolari e dos seus jogadores. Não há paciência para tanta boçalidade.
Relativamente ao provincianismo, é lamentável saber que Viseu foi alvo de uma série de obras por parte da autarquia (parece que são as campeões das rotundas) e mudança de eventos culturais para receber a "nossa" selecção! São estas as nossas prioridades.

24.5.08

Do outro lado do horizonte

Esta semana a Ford Company anunciou a redução imediata da sua produção de SUVs (Sport Utility Vehicle) e Pick-ups. Compreende-se esta medida com a escalada dramática dos preços da gasolina, principalmente porque afecta este segmento de mercado cujos automóveis têm cilindradas altíssimas. Desde que cheguei a Boston o preço da gasolina passou de $3,05/gallon = $0,805/litro até $3,9/gallon = $1,03/litro. Esta subida do preço/litro da gasolina não é tão acentuada como a que se passa em Portugal. No entanto, se pensarmos que a média de cilindrada dos carros americanos é de 3000 c.c. (centímetros cúbicos) percebe-se bem a preocupação e o peso que esta subida provoca no depauperado orçamento familiar americano. Para bem do futuro da humanidade e que o petróleo comece a deixar de ser uma arma politica, as entidades nacionais e internacionais deveriam obrigar os fabricantes de automóveis a limitar a cilindrada dos seus carros. Assim, passaríamos a ter carros com um máximo de 1600 c.c. para carros a gasolina, e 1800 c.c. para carros a diesel. De certeza que dentro de poucos anos teríamos carros mais potentes, menores consumos e com menores cubicagens. Nunca nos esqueçamos o que as várias gerações nos ensinaram, a necessidade aguça o engenho!

21.5.08

Ressentimento

É isto que Pedro Santana Lopes e Luís Filipe Menezes têm para oferecer ao PSD e ao país.

19.5.08

Houve taça

Se tem o mérito de ter conseguido passear-se pela Liga até ser campeão, Jesualdo Ferreira pode ser claramente responsabilizado pela derrota de ontem.
Colocar João Paulo a defesa lateral depois do desastre de Gelsenkirchen frente ao Schalke não lembra ao diabo e a entrada de Lino, já com dez jogadores, apenas veio provar a enorme asneira do professor.
Ontem, sem fôlego e sem vontade, o FC Porto conseguiu descer o nível até ficar à mercê do Sporting.
Depois, Olegário encarregou-se do resto. Se a arbitragem tivesse sido ao contrário, ia ser um constante perorar até ao início da nova época. Mas eles são diferentes...

18.5.08

Obrigado Jesualdo

Apesar de termos sido prejudicados pelo árbitro, o Sporting tem que agradecer este título ao nosso Jesualdo.

14.5.08

Outros horizontes

A perspectiva do meio campo do Sporting na próxima época, em "Pressão sobre a relva", por maradona, n´A Causa Foi Modificada.

A época ainda não acabou

O FC Porto lá conseguiu ser capa n´A Bola.
Mas parece-me que o verdadeiro objectivo terá sido esconder isto.

13.5.08

Contra o Acordo Ortográfico

Fica aqui a ligação para o abaixo-assinado contra o Acordo Ortográfico.

Angola, Sonangol e o BCP

As declarações de Bob Geldof fizeram a despertar a nossa imprensa para a situação vergonhosa que se vive em Angola. A complacência do governo português, em nome dos interesses económico e do preconceito colonial, é infinita. O que não se escreveria se os nossos principais empresários andassem a negociar com Robert Mugabe? Nunca percebi a diferenciação dentro da escala do Mal, não será José Eduardo do Santos e regime angolano um dos exemplos mais aberrantes do continente africano? Presidente de um partido marxista, que ainda há semanas impressionou o camarada Jerónimo de Sousa, deixa para a sua omnipresente filha a participação nos negócios mais importantes.
Sendo a Sonangol a empresa mais visível deste regime é com preocupação que vejo as suas participações nas principais empresas portuguesas aumentar dia para dia, tornando-se na maior accionista do BCP. Cada vez tenho mais vontade de deixar de ser cliente deste banco...

10.5.08

Um (1) estudo

Em Portugal (não sei se o mal é geral) todos os dias um jornal cita um estudo como uma nova verdade insofismável. Um estudo é um estudo, nada mais que isso. Mas não, a partir daí tecem-se as considerações mais irrefutáveis, deixa de haver dúvidas. Considere-se o exemplo de hoje (há todos os dias um novo): um estudo mostra que a proibição de fumar fez aumentar o consumo do álcool. Se há um (1, só um) estudo que teve esse resultado, já não há dúvidas.

9.5.08

O que se esperava

Parece que a campanha eleitoral no Zimbabwe já começou, mas parece que Robert Mugabe não corre o risco de ficar sem voz.

8.5.08

O futuro das cidades

O governo pretende dinamizar o mercado de arrendamento, em detrimento da compra de casa. Justifica a medida com o facto de haver casas a mais em Portugal. Calcula que sejam perto de meio milhão de casas vazias que existem actualmente.
Basta olhar para as nossas cidades e para o seu crescimento para constatar o óbvio. Construiu-se demasiado. E construiu-se mal, desordenadamente, sem respeito pelo planeamento urbanístico e pela qualidade de vida, quer dos novos moradores, quer dos que já lá viviam.
No entanto, por agora, grande parte dos prédios ainda são relativamente novos, pelo que as casas vazias apenas representam persianas fechadas. O pior será quando os novos bairros começarem a sofrer a erosão do tempo e às persianas fechadas se juntar a degradação das fachadas e o abandono de edifícios.
É o que irá sair da sombra que actualmente já cobre bairros inteiros das nossas cidades.

6.5.08

Auto-suicído

Sendo o único comentador que conhece o sentimento das "verdadeiras bases do PSD", aqui vai um exemplo da profundidade da análise do inefável Luís Delgado: "O PSD é um partido que anda a auto-suicidar-se" (cito de cor).

Que novidade! II

Luís Delgado prepara-se, na SIC-N, para explicar pela enésima vez que Santana é o homem certo para o país.

Que novidade!

«O músico e activista Bob Geldof afirmou hoje, em Lisboa, durante a conferência sobre Desenvolvimento Sustentável, que Angola é um país "gerido por criminosos".»

5.5.08

O resto é paisagem

Já é um tema recorrente. A importância das notícias em Portugal, das mais trágicas às vulgares, é sempre indirectamente proporcional à distância de Lisboa. Não, amanhã não vai chover em Lisboa.

2.5.08

Os milhões do costume

A alternativa era colocar-se numa esquina a distribuir o dinheiro por quem passava, mas o benfiquismo falou mais alto.

Agora é que conta

Depois de morosamente alcançado um resultado que lhe permitirá disputar uma segunda volta, Robert Mugabe parece disposto a aceitar o resultado nas eleições presidenciais no Zimbabwe.
Resta saber se a campanha eleitoral para a segunda volta será tão descuidada como a da primeira. É que, como se viu recentemente, o actual presidente não anda propriamente preocupado em comprar cartazes ou em contratar agências de comunicação.

30.4.08

Pedro Passos Coelho

Apesar de ser apresentado como um candidato mais virado para o futuro, o problema de Pedro Passos Coelho é precisamente o passado recente do PSD.
Depois do desvario de Santana Lopes e Menezes, o partido não se pode dar ao luxo de apostar no desconhecido e na aventura. É tempo de minimizar danos e de se reorganizar, para poder construir uma alternativa firme.
Quem for eleito vai necessitar de uma voz forte, com autoridade, que se se consiga impor naturalmente no partido, sem necessitar de justificações ou legitimação contínua dos seus actos. E, neste aspecto, a juventude e a falta de visibilidade política de Pedro Passos Coelho nos últimos anos jogam contra ele.

29.4.08

Directas no PSD

Cada vez estou mais convencido de que as"directas" são um dos principais motivos para a instabilidade que se vive no PSD: aguçam o empenho de cada elemento activo na eleição do líder que apoia (único ponto positivo), originam argumentos destrutivos perante os restantes candidatos (aproveitados de imediato pela oposição) e, acima de tudo, promovem uma ala "negra" que, por brio mesquinho, se empenha em destronar do líder eleito...

Mitos

Depois de Totti, Robinho, entre muitos outros, é a vez de Marcelo Lippi escapar ao grandioso destino de parar no Benfica.
Se ao menos lessem jornais portugueses...

28.4.08

Condições e obrigações


Santana Lopes a.k.a Menino-Guerreiro achou, acha e achará sempre que tem a obrigação e todas as condições (as possíveis e imaginárias) para concorrer a líder do PSD. Precisa disto para existir. Pede-se encarecidamente aos jornalistas (Santana também é uma criatura deles) que no caso desta situação patológica deixem de falar em sete-vidas ou ressurreição política. Acreditem na vida eterna. Um espelho faria milagres!

Outros horizontes

"Caprichos de Pluma" por Vasco Lobo Xavier, no Mar Salgado.

O único futuro para o PSD

Que não haja dúvidas, o PSD tem aquela que pode ser a última oportunidade para recuperar a credibilidade junto dos portugueses.
Acima de tudo e por muito que custe, o novo líder terá que pôr ordem no partido. Só depois disso é que poderá começar a pensar em derrotar Sócrates e o PS.
O PSD precisa avidamente de refazer o prestígio que foi perdendo com as anteriores lideranças.
A liderança menor de Marques Mendes e a falta de credibilidade de Santana Lopes e Menezes originaram que todos que apareciam junto dos líderes ficassem irremediavelmente feridos perante a opinião pública. Tal facto impediu que aparecessem novas figuras que se impusessem no partido e conseguissem fazer ouvir a sua voz no país. Assim, o núcleo mais visível do PSD foi-se transformando num deserto, apenas habitado por sinistras criaturas como Ribau Esteves, Pedro Pinto, Helena Lopes da Costa, Marco António ou Rui Gomes da Silva.
Este é um dos maiores dramas que o PSD enfrenta hoje em dia. A impossibilidade de reunir uma equipa credível, com preponderância real na sociedade civil e que possa ganhar o país. Para fazer isso o PSD necessita de paz e de uma liderança forte que possa fazer germinar novos quadros e novos valores.
Neste âmbito, não tenho qualquer dúvida que Manuela Ferreira Leite, de todos os candidatos, é a pessoa indicada. Pelo seu rigor, pela sua seriedade, pela sua coerência ao longo dos anos e pelo prestígio que tem dentro e fora do partido.
Depois disso, aí sim, pode começar a pensar no país.

24.4.08

Santana again

O menino-guerreiro é persistente. Esperemos que não seja a recidiva da tragédia no PSD. Se ganhar prova que os militantes não pretendem alguém que os leve de volta ao poder. Não consigo imaginar cenário mais idílico para Sócrates, voltar a defrontar a dupla Santana-Portas. Santana é a mais segura garantia de derrota do PSD.

Liquidação

Os mais fiéis a Menezes movem-se agora por puro rancor e despeito. O pior que lhes podia acontecer era que, por contraposição com a sua passagem, o partido encontrasse paz e serenidade.
O tempo agora é de incendiar e procurar incendiários que possam destruir qualquer perspectiva de arrumar a casa.
Não admira, por isso, os elogios inflamados a Jardim e a pressão para a sua candidatura. Ele seria a garantia segura de que o pior ainda estaria para vir.
A actual liderança do PSD mais parece uma administração liquidatária que tem até às próximas directas para acabar com o partido.

23.4.08

Líder do PSD

Fica aqui ao lado a pergunta sobre quem será o melhor líder do PSD, incluindo os candidatos já conhecidos e os possíveis.

21.4.08

Tertúlia de amigos

O mais preocupante de tudo é que o governo chinês nem se preocupa em parecer, não é e ponto final.
A grandeza do seu mercado e a sua economia emergente constituem um enorme guarda-chuva que protege de tudo, justificando os maiores atropelos perante a comunidade internacional.
Neste momento, a China move-se num mundo à parte, submetendo-se às regras quando mais lhe convém e delas fazendo tábua rasa sempre que lhe apetece.
Para não faltar ninguém, parece que José Eduardo dos Santos vai ajudar a levar a carga a bom porto...

20.4.08

Ponto de Mira


**

Mín. * Máx. *****

19.4.08

PSD

Menezes acha-se uma vítima, traído pelo seu próprio partido, odiado pelas elites. Fala das bases como se fossem elas o eleitorado nacional e fosse possível dissociar o país dos militantes do PSD. Independentemente da qualidade (ou falta) de Menezes, acharia ele possível ir a algum lado secundado por Santana, Ribau, Gomes da Silva, Marco António, Mendes Bota,... associação capaz de assustar qualquer um? Acharia ele possível demonstrar alguma credibilidade afirmando tudo e o seu contrário? Pelos vistos achava.
No PSD está na altura de ninguém fugir às suas responsabilidades, não haverá desculpas. Menezes, esperando que não se recandidate, pode ter dado a machadada final numa segunda maioria absoluta de Sócrates.

Boavista

No Público (edição impressa): "A auditoria que Joaquim Teixeira mandou realizar ao clube demonstra, segundo avançou ontem a SIC, que existiram várias irregulariadades nos últimos anos na gestão do clube e SAD, que, em conjunto, somam um passivo que ultrapassa os 80 milhões de euros. O património do clube, por exemplo, é 13 milhões de euros inferior ao que é declarado, enquanto a dívida supera em oito milhões as contas apresentadas. Foram ainda detectados indícios de irregularidades e descapitalização. Faltam facturas e contratos que suportem algumas movimentações financeiras. Como provam os 750 mil euros que o clube recebeu como adiantamento por parte de uma imobiliária e que não entraram nos cofres do Bessa.
A auditoria aponta também alguns negócios em que o clube saiu prejudicado, como aconteceu em Fevereiro de 2005, quando o Boavista vendeu terrenos por 4 milhões de euros à sociedade detentora do Holmes Place. No mesmo dia, no mesmo cartório, a sociedade vendeu os mesmos terrenos com obras a outra sociedade por 13 milhões. A área inicialmente prevista era de dois pisos e passou a ser de cinco, mas não houve alteração do preço."

Gostaria de saber o que é que a família Loureiro tem a dizer sobre isto...

16.4.08

Boas acções

Os portugueses foram extremamente sensíveis aos discursos sobre ética e incompatibilidade que rodearam a nomeação de Jorge Coelho para presidente da Mota Engil.
Apesar do ex-dirigente socialista estar longe de ser um Mourinho da gestão, houve corrida em massa a comprar acções da empresa. Pode ser que chegue para todos.

1 de Abril

José Eduardo Simões, reconduzido ontem na presidência da Académica, pretende construir um estádio novo.

15.4.08

Porto na Final da Taça

Foi penoso ter que assistir ao Setúbal-Porto na SIC comentado por dois anti-portistas primários. O desalento era total. Relembro apenas que o Porto não é da segunda circular, não se podia pedir mais ao Vitória de Setúbal.

Itália

A imprensa europeia tem de volta o seu bombo da festa.
Mas, já agora, podíamos questionar-nos por que razão Berlusconi consegue sempre regressar, mesmo depois de morto e enterrado, com cirurgias plásticas e desavenças conjugais públicas pelo meio.
Estes romanos estão assim tão loucos?

14.4.08

A Madeira e as bananas

O episódio da visita de Cavaco Silva à Madeira é pouco edificante para todas as partes.
Fica mal Alberto João Jardim (o que está longe de lhe retirar o sono), fica mal a assembleia legislativa da Madeira (um fantoche do presidente do governo regional) e fica mal o Presidente da República que vê a sua autoridade e peso político postos em causa.

11.4.08

Chamem a PJ

Mais um jogo viciado. A Académica goleou o Benfica, 3-0.

10.4.08

Breve Análise Histórica dos Últimos Campeonatos

Se calhar será uma visão parcial (é-o certamente), mas não resisti a deixar a minha opinião acerca da viciação dos resultados dos últimos quinze anos do futebol português. Pelos vistos o Porto este ano até ganhou bem, no entanto o mesmo não se poderá dizer da superioridade que tem exercido num passado recente. Ou será que pode?
- Nas épocas anteriores não me lembro que alguém possa ter dito seriamente que o FCP tenha sido beneficiado. Em pleno fulgor do Apito Dourado, foram vários os jogos em que foi, isso sim, prejudicado. No entanto teve sempre o melhor ataque e em 2005/2006 a melhor defesa também, ficando o Sporting em 2º a 7 pontos. Quase sem qualquer penalty a favor, ao contrário do eterno queixoso Sporting, que daqui a dez anos ainda falará na mão do Ronny em Alvalade...
- No campeonato 2004/2005 tivemos o Benfica campeão, o que pelos vistos até poderá ter sido prejudicial para o próprio clube, segundo as mais recentes afirmações do LFV. No último terço de jornadas assistimos a um jogo com o Estoril no Algarve e a todas as queixas de um treinador revoltado, que se viu obrigado a perder um jogo quando "lutava" pela permanência; assistimos a arbitragens que incluíram penalties na Luz por sopros sobre o martelão norueguês que o Benfica tinha na altura; penalty no Restelo por uma mão que ressalta na perna do defesa a 30 cm do braço; penalty na última jornada do Bessa por um remate à queima quando o defesa tinha já a mão a proteger a face. Enfim, nesse ano o Simão parecia o Jardel a marcar golos... E o que disse o Paulo Bento há duas semanas atrás, enquanto justificava a diferenciação do FCP - "Nos últimos anos o Porto só não foi campeão num ano em que teve 3 treinadores e esse mesmo campeonato só foi decidido na última jornada!";
- 2002/2003 e 2003/2004 - os anos em que parece que fomos beneficiados contra o Beira-Mar e o Estrela da Amadora. Em que o mesmo Estrela da Amadora desceu de divisão. Jogos em que o próprio Jorge Coroado, sofredor anti-portista como poucos, não consegue afirmar que o clube foi beneficiado. Os anos em que fomos os melhores da Europa, com Mourinho e a sua equipa, da qual Scolari tanto beneficiou durante anos. Em que os segundo classificados acabaram a 11 e 8 pontos. Em que o Benfica e o Sporting foram humilhados nas suas próprias casas. Em que o Lucílio Baptista deixou 4 penalties por assinalar num SCP-FCP. Realmente o que importa reter é que o Mourinho rasgou a camisola do Rui Jorge e saiu impune...;
- Nos três anos anteriores a estes assistimos ao pior período do Porto. Fernando Santos e Octávio Machado são demais para qualquer clube! Ainda assim tivemos o Jardel a marcar pelo Sporting 14 penalties num ano; tivemos o Boavista que nem vale a pena falar no que toca a arbitragem; tivemos o José Soares do Campomaiorense e o Sr. Bruno Paixão a começar a dar cartas; mas tivemos sobretudo os tais dois treinadores muito fraquinhos...;
De 1994 a 1999 tivemos o Penta. Nunca como com Bobby Robson o Porto jogou tão bem. Foram dois campeonatos que o levaram a ele a Barcelona e o FCP às meias-finais da Taça das Taças e da Liga dos Campeões, em 1995 e 1996 respectivamente. Depois tivemos dois anos de António Oliveira e um de Fernando Santos com Jardel, Domingos, Jorge Costa, Zahovic, Edmilson, Artur, Deco, Doriva, Sérgio Conceição, Drulovic, Capucho, Vitor Baía de regresso... Toda a gente falava na altura nos novos cinco violinos, nos parabéns aos justos vencedores, etc.
No ano anterior foi o Benfica campeão e só me lembro que tinha de facto uma grande equipa e que o Porto tinha andado a dormir meio campeonato com o Ivic a colocar 10 defesas por jogo.
E assim temos os tais "últimos 15 anos de sistema", que são a vergonha do nosso futebol, completamente dominados pelo FCP. E pelos vistos a nota de culpa da Liga foi o suficiente para comprovar toda a responsabilidade do Sr. Pinto da Costa nessa vergonha. Nota de culpa essa, cuja origem está no processo Apito Dourado, reaberto por uma duvidosa magistrada, com base nas denúncias da idónea (pelo menos no que toca a acusações a terceiros) Carolina Salgado.
Discordo como é óbvio do discurso de Pinto da Costa contra "os vermes". Mas sinto também um certo nojo por alguns comentadores e jornalistas que não são capazes admitir que os seus clubes são mal geridos, mal treinados, que têm a pior equipa e que são muitas vezes beneficiados pelas arbitragens, como de resto é normal acontecer. Mas isto não aconteceu só este ano!!! Tiveram o Vale e Azevedo, o Manuel Damásio, o Manuel Vilarinho, o Dias da Cunha, o Santana Lopes e o Sousa Cintra entre tantos outros como presidentes. Tiveram o Manuel José, o Fernando Santos, o Toni, o Graeme Souness, o Carlos Manuel, o José Peseiro, o Materazzi e muitos outros como treinadores. Há comparação possível?!
Já não me lembrava de estar tão revoltado com o futebol e no entanto nunca tinha assistido a semelhante festival de superioridade.
A minha dúvida por estes dias é a seguinte: damos uma mão aos Vitórias, ou continuamos à procura da maior vantagem de todos os tempos?

8.4.08

Rui Moreira

Tiro-lhe o chapéu. Rui Moreira é o mais inteligente defensor do FCP na televisão.

7.4.08

The Mist - Nevoeiro Misterioso


***

Mín. * Máx. *****

Sem limites para o disparate

Menezes, na SIC de Balsemão, prometeu uma RTP sem publicidade. O homem agradece sempre aos anfitriões. Foi à Madeira de Jardim prometer "uma autonomia sem limites". Para terminar diz que irá derrubar Sócrates com um "PSD à moda de Alberto João Jardim". Simpático...

Os amigos certos

"(...) De resto, uma estação que financia "A revolta dos pasteis de nata" pode pagar a quem quiser que não faz diferença nenhuma. (...)" escreve (e bem) Filipe Nunes Vicente, no Mar Salgado.

Paladino Vieira

"«Há alturas em que não vale a pena tentar limpar o futebol, porque há outros que querem mantê-lo como está. Era importante que a Polícia Judiciária começasse a entrar definitivamente no futebol. O que se está a passar em alguns campos é muito grave, para não dizer que os resultados estão a ser viciados jogo a jogo», afirmou o presidente dos encarnados."

Só num país de fantasia é possível que uma personagem como Luís Filipe Vieira possa surgir como paladino da honestidade e seriedade desportiva. Que não há memória já se sabe. Que a servil imprensa lisboeta costuma dar eco aos dislates também é conhecido. Torno a relembrar uma hagiografia do presidente Vieira escrita pelo actual director de A Bola, ainda hoje uma referência no domínio do onirismo. Não há limites para o desplante...

Para começar bem a semana


É tri-campeão. Não é pelo facto de ser cada vez mais normal que deixa de ter menos significado.
Entretanto, avizinha-se uma mudança de mentalidades dos novos dirigentes na próxima temporada.

4.4.08

Outros horizontes

"Res, non verba", por João Gonçalves, no portugal dos pequeninos.

A sombra

Vou fazer tudo para ir vê-lo, mas a verdade é que vem aí o pior Federer de sempre.
Pode ser que a fauna que habitualmente se passeia pelo Estoril Open lhe dê mais vontade de bater nas bolas...

3.4.08

Outros horizontes

"Nada mais" por João Gonçalves, no portugal dos pequeninos.
"Coisas que passaram mais ou menos despercebidas:" por Filipe Nunes Vicente, no Mar Salgado.

1.4.08

Trio Odemira

Luís Delgado na SIC-N (cito de cor): "(...) para pessoas como o Dr. Pacheco Pereira os líderes que lá estão nunca são bons, não foi o Dr. Durão Barroso, não foi Santana Lopes, não é Luís Filipe Menezes."

Escola pública

A dificuldade de resolução dos problemas da escola pública é fruto precisamente da sua essência, ou seja, da sua massificação e da democratização do seu acesso.
Ao contrário das escolas privadas que se podem dar ao luxo de escolher, a escola pública tem de acolher os alunos brilhantes e os menos inteligentes, os estudantes dedicados e os preguiçosos, os que tratam os professores por tu e os que têm educação em casa, os que têm um lar ao final do dia e aqueles que não sabem se vão ter o que jantar. E para muitas destas questões não é certamente a escola que encontrará a solução.
É óbvio que lá se conseguirá encontrar algumas vezes o bom selvagem de Rousseau, mas o que parece é que se começa a encontrar demasiadas vezes o selvagem que, pelo caminho, já perdeu o bom.
Se a isto juntarmos o facto de ser impossível de ter os melhores professores em todas as escolas...

31.3.08

Bipolar

A última tirada de Luís Filipe Vieira:

"Se calhar, foi mau para o Benfica ter sido campeão bem recentemente. Não devia ter sido, se calhar, porque aí toda a gente tinha os pés mais bem assentes no chão e não sonhávamos tão alto."

Quando o presidente de um clube lamenta o único título de relevo do clube nos últimos 15 anos não há treinador que o safe.
Aliás, e analisando as suas palavras, ele em nada contribuiu para esses sonhos...

30.3.08

Haverá Sangue


****

Mín. * Máx. *****

28.3.08

Histórias de Braga

No Público de hoje (edição impressa):

"A O Tribunal de Braga pronunciou três técnicos camarários, um deles director dos serviços técnicos da autarquia, pela prática dos crimes de falsificação de documentos e abuso de poder, por alegadamente terem permitido a realização de uma obra ilegal.(...)

(...) O queixoso salienta que, apesar da denúncia dos factos, "a câmara licenciou a obra através de falsos ofícios e declarações", facto que, defende, "por si só, deveria conduzir à perda de mandato do presidente da autarquia e à responsabilidade penal e disciplinar aos técnicos". (...)

(...) Jorge Deveza sustenta que o presidente do município "conhecia os factos, porque lhe foram directamente apresentados por diversas formas, incluindo requerimentos entregues na secretaria da câmara municipal, para além de informação pessoal por carta registada". Lamenta, por isso, que o Ministério Público não tenha constituído Mesquita Machado como arguido, sublinhando que a própria juíza de instrução considerou clamorosa a forma como o inquérito foi conduzido."

"O processo foi arquivado duas vezes pelo Ministério Público, mas o queixoso decidiu avançar com acusação particular, vindo o Tribunal de Instrução a dar-lhe razão com a decisão instrutória que teve lugar a 19 de Fevereiro."

Grandes asneiras

Por uma reportagem de hoje, na SIC, fiquei a saber que a freguesia mais pequena de Portugal não é aquela que tem menor área, mas a que tem menos habitantes (!?).
Vá lá, podiam ter escolhido que tivesse os habitantes mais baixos...

I.V.A.

A descida do I.V.A. é um sinal, é um acto político, é uma boa notícia, é curta, é uma manobra eleitoral, é um estímulo, é uma precipitação... pode ser tudo isso.
Mas, acima de tudo e tendo em conta o mecanismo de subida e descida dos preços, para o consumidor é insignificante.

26.3.08

Escola da vida

Ao contrário de Valter Lemos, não penso que a violência nas escolas venha de fora, contaminando o ambiente são que se vive nos locais de estudo.
Só quem pensa que os estabelecimentos de ensino são ilhas ou nunca frequentou uma escola pública é que pode dizer que, lá dentro, não se formam grupos mais ou menos organizados que servem de génese a coisas mais graves.
É óbvio que o problema não começa aí. O seu início é bem mais precoce, começa no berço, na educação dos pais, alimenta-se das condições sócio-económicas dos bairros onde vivem e explode, muitas vezes, nas salas de aula ou nos recreios.
A escola não é a responsável, mas faz parte do caldo de cultura.

25.3.08

Bufos

O facto da administração fiscal estar mais eficiente é uma boa notícia e aproxima Portugal dos países mais desenvolvidos. O grande problema é que se caiu no exagero, gozando o fisco de poderes e privilégios que, além de o colocar em flagrante e, por vezes, injustificada vantagem face aos restantes credores, possibilita abusos que uma justiça lenta demora demasiado tempo a corrigir.
A juntar a isto, a Direcção Geral dos Impostos decidiu obrigar os portugueses a desempenhar a função de inspectores, confundindo o dever de colaboração com o dever de delação.
Se querem combater a evasão fiscal, investiguem, mas não nos peçam que o façamos por eles...

21.3.08

Os pais

No editorial do Público por Paulo Ferreira:

"O vídeo do conflito na sala de aulas que meio-país já terá visto e que também é noticiado nesta edição é chocante a vários níveis: a desfaçatez da aluna, a impreparação da professora para lidar com a situação e o "circo" em que se transformou a sala de aulas. Mas aqueles que são, certamente, os principais responsáveis por isto, não aparecem nas imagens: os pais."

Duas Irmãs, Um Rei


**

Mín. * Máx. *****

Outros horizontes

"A permanência de Sherlock Holmes" por João Paulo Sousa, no Da Literatura.

20.3.08

Critérios

Quim cometeu o pecado da competência na baliza do Benfica e não foi convocado por Scolari.
Rui Patrício até pode vir a ser um grande guarda-redes, mas, neste momento e tendo em conta as exibições ao longo desta época, não sobreviveria dois jogos consecutivos na baliza de um grande clube. A sua sorte é a inquebrável esperança de Paulo Bento numa grande época...

19.3.08

Já não é mau...

"O presidente do Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento (Infarmed), Vasco Maria, reconheceu ontem que a descida em seis por cento do preço dos medicamentos decretada pelo Ministério da Saúde no início do ano passado praticamente não favoreceu os doentes, mas apenas o Estado."

Se a descida do preço decretada pelo Governo levou a um menor despedício dos dinheiros do Estado não vejo nisso nenhuma má notícia, pelo contrário. Uma racionalização dos gastos do estado no SNS é imperativa para impedir a sua insustentabilidade.

18.3.08

A fingir nos entendemos

A China e as suas relações com o exterior são o paradigma máximo da hipocrisia que comanda a diplomacia, submetida aos interesses económicos.
O Ocidente finge não ver a ditadura que viola constantemente os direitos humanos, o governo chinês finge que ainda combate o capitalismo.
No meio de tudo isto, o pobre povo chinês que vive entalado entre um poder político que ainda recorda Mao Tse Tung e um poder empresarial que ainda não ultrapassou a revolução industrial.

17.3.08

Michael Clayton


***

Mín. * Máx. *****

Frases do fim-de-semana

Para quem anda desatento:

"O PSD está com uma dinâmica fortíssima"
, Luís Filipe Menezes em Valpaços.

"Podemos fazer uma época muito boa", Paulo Bento ao Maisfutebol.

Do outro lado do horizonte

Embora seja hoje o dia de “St. Patrick”, ontem realizou-se aqui em Boston a parada de comemoração do padroeiro da Irlanda. Como Boston tem a maior comunidade de descendentes irlandeses dos EUA, confesso que estava com alguma expectativa para ver como os Americanos festejam este feriado católico.
Ao assistir a esta parada, deparo com a típica demonstração do poderio americano, carros da polícia, dos bombeiro, militares, tanques de guerra, lanchas de ataque (no reboque, claro!), todos a buzinar e a acenar à multidão. Mas o mais cómico, sendo este dia a comemoração da expulsão das “serpentes” (símbolo dos infiéis) da Irlanda pelo Santo Patrício, é a total falta de senso dos americanos para uma parada que deveria exibir algum respeito. Ao longo da parada, podemos vislumbrar vários candidatos a senadores, fazendo propaganda eleitoral, cumprimentando a população, a Miss Beleza de Boston, carros alegóricos das empresas de cerveja da região, carros das equipas desportivas de Boston, uma conjunto de danças chinesas (serão eles católicos e nós não sabemos!) e para a “palhaçada” ser total temos o esquadrão da guerra das estrelas com o seu mais conhecido vilão Darth Vader! Estranho povo este!

Zonas limpas

O governo, qual entidade suprema de ditames e bons costumes, quer regular os locais do corpo onde se pode colocar piercings. A ideia esteticamente até me seria simpática, não fosse tudo aquilo que representa.
Em vez de andarem preocupados em limpar os corpinhos dos portugueses, talvez fosse mais indicado fazer o mesmo às ruas por onde andamos. Vai-se ao Bairro Alto, em Lisboa, que até serviu de cenário a uma intimista entrevista ao nosso primeiro-ministro, e não se consegue encontrar um único edifício cujas paredes não estejam pejadas de rabiscos e grafittis, fruto do gosto indecifrável de uns quantos.

13.3.08

... mas os violinos tocam...

A desorientação de Luís Filipe Menezes e da sua equipa é tal, que até alguém desacreditado e remetido à sua influência local, como António Capucho, consegue aparecer aos olhos da opinião pública como uma figura prestigiada e com peso no partido.

12.3.08

Do outro lado do horizonte

O legado económico que George W. Bush vai deixar para o futuro presidente Americano reflecte bem sua incompetência e a importância desta eleição. Em oito anos de presidência dos EUA o preço do petróleo passou de aproximadamente $30 o barril para valores acima dos $100; a economia americana enfrenta um défice orçamental gigantesco, no entanto George W. Bush baixou os impostos em 4% para aqueles que possuem rendimentos anuais acima dos $150,000! Mais grave ainda, numa conferência para promover o seu mais recente livro “Three Trillion Dollar War: The True Cost of Iraq Conflit" que eu tive o prazer de assistir, o Prémio Nobel da Economia Joseph Stiglitz, professor da Universidade de Columbia, analisa que os custos reais da guerra do Iraque para a economia americana, e consequentemente para as restantes economias, ascende a 3 triliões de dólares até 2012. Este valor daria para pagar a segurança social americana nos próximos 50 anos ou para pagar os estudos universitários a 160.000 estudantes americanos. Será que deixa saudades?

Clubes de futebol

Em Portugal, por imitação do que se vê em Inglaterra, tem-se imposto a figura do director desportivo que gere o futebol, libertando o presidente do clube ou da SAD para outros afazeres superiores. O presidente adquire um estatuto senatorial, assistindo no camarote ao que se passa lá em baixo, mas sem que aquilo lhe diga muito.
Não consigo perceber a bondade da solução. Se estamos a falar de um clube ou de uma SAD de futebol (!?), é crucial que o seu presidente saiba e perceba de futebol. É necessário que conheça os seus meandros, conheça os jogadores, tenha ideia de quem são os melhores treinadores, vibre com os jogos e esteja atento às competições.
Em Inglaterra a questão será sempre diferente, porque os clubes têm proprietários legítimos que podem escolher quem dirige o dinheiro por eles investido.
Em Portugal, os clubes ainda são maioritariamente dos seus sócios, pelo que, se alguém se candidata ao cargo de presidente, tem de saber obrigatoriamente de futebol. Depois, caso não saiba os aspectos mais técnicos da gestão de uma empresa, é que deve pensar num adjunto para essa área.
Pensem nos grandes presidentes da história do futebol e digam-me que eles não percebiam do que lá estavam a tratar...

8.3.08

Uma questão

Por que será que quando ouvimos os anúncios da Carglass (aquela empresa que se gaba de reparar vidros dos carros) ficamos com a sensação de que tanto os funcionários como os clientes devem sofrer de paralisia cerebral?

6.3.08

A metade

Descobri hoje mais uma originalidade das eleições presidenciais americanas.
Segundo o Público, Barack Obama conta, neste momento, com 1456,5 delegados eleitos.
Onde é que Obama terá encontrado esse meio delegado?

2.3.08

Avaliação dos Professores

As novas regras de avaliação dos professores, apesar de amplamente contestadas pela classe docente, com o apoio dos sindicatos, têm recebido apoio generalizado da restante população. De facto, existe a percepção geral de que o Sistema Educativo necessita de uma reformulação profunda e que a avaliação dos professores é um dos aspectos fundamentais nesse proceso. No entanto, o recente episódio que veio a público acerca de uma proposta de grelha de avaliação numa escola de Leiria que incluía, como tópico de avaliação, as críticas feitas pelo professor às medidas implementadas, constitui um sinal de elevada gravidade quando ao rumo que a situação está a tomar. Apesar de esse tópico de avaliação ter sido, aparentemente, rejeitado pelo Conselho Pedagógico da escola em causa, este episódio deveria ter tido consequências. Exigir-se-ia, desde já, a responsabilização de quem tomou a iniciativa de propor um tópico de avaliação que pretende restringir um dos direitos fundamentais de qualquer cidadão, o direito à liberdade de expressão. A simples sugestão de que fazer críticas às medidas do Governo é um dos critérios de avaliação não deveria ser compatível com o exercício de cargos de direcção na Função Pública. Por outro lado, este episódio vem legitimar, de forma preocupante, o discurso aparentemente anacrónico dos sindicatos que reclama o respeito pelos professores e o fim das perseguições de que têm sido alvo.