7.9.06

Verdadeiras férias

Um dos primeiros efeitos da diminuição das férias judiciais é a acentuada redução (para não dizer a quase ausência) do número de sentenças e acórdãos recebidos logo após a data da reabertura dos tribunais, ao contrário do que acontecia nos anos anteriores.
Por outro, lado, o aumento do número de diligências efectuadas na última quinzena de Julho e previstas para primeira quinzena de Setembro está longe de compensar a quebra relatada acima.
Estou curioso para ver qual será o optimista e congratulante balanço do ministro Alberto Costa.

2 comentários:

Joao P Martins disse...

Isso será só uma "sensação", ou já tá tudo bem contabilizado?

Pedro C. Azevedo disse...

Da minha parte e no que diz respeito a este escritório, é contabilidade baseada em factos.